Quarta-feira, 29 de Maio, 2024

Antigo PR da África do Sul diz que filho morreu envenenado em 2018

O antigo Presidente da África do Sul Jacob Zuma disse hoje que o seu filho que morreu em 2018 foi envenenado por pessoas que, não podendo matar o antigo chefe de Estado, atacaram o filho.

Zuma disse que sobreviveu a “várias tentativas de assassinato” que atribuiu a “três organizações de inteligência” e revelou que um dos seus filhos, Nhlakanipho Vusi Zuma, falecido em julho de 2018 com 25 anos, foi vítima daqueles que o queriam matar.

Falando numa entrevista publicada terça-feira no YouTube, durante a qual fala com o seu filho Duduzane, o ex-Presidente, de 78 anos, afirma que um dos seus filhos, Nhlakanipho Vusi Zuma, que morreu em Julho de 2018 com 25 anos de idade, foi vítima daqueles que o queriam matar.

Nhlakanipho Vusi Zuma “sofria de uma doença controlável e poderia chegar a muito velho, mas morreu muito subitamente”, explicou o antigo chefe de Estado, acrescentando: “Agora que sei como ele morreu, dói-me ainda mais, sei que foram as pessoas que tentaram matar-me ou chegar até mim, que tomaram a decisão de fazer algo que sabiam que me iria magoar”.

Segundo Zuma, essas pessoas, não podendo chegar ao então Presidente, “atacaram o jovem de uma forma muito cruel, interferiram no seu tratamento para o envenenar”.

De acordo com o relato da agência de notícias francesa AFP, Zuma não apresentou provas desta acusação nem nomeou as organizações inteligência que terão atentado contra a sua vida.

Jacob Zuma liderou a África do Sul de 2009 até fevereiro de 2018, quando foi obrigado pelo seu próprio partido a demitir-se, no seguimento de um conjunto de escândalos de corrupção que alegadamente o envolviam.

Zuma está atualmente a ser processado por corrupção num caso de compra de armas que aconteceu antes da sua chegada à liderança do país mais industrializado do continente africano.

×
×

Cart