Quinta-feira, 23 de Maio, 2024

Polónia confirma entrega dos primeiros caças MiG-29 à Ucrânia

A Polónia entregou os primeiros caças MiG-29 que prometeu à Ucrânia, anunciou hoje um conselheiro da presidência polaca.

“Alguns MiG já foram enviados, são de facto úteis para a Ucrânia defender a segurança de todos nós”, disse Marcin Przydacz à rádio privada RMF24, citado pela agência francesa AFP.

Sem precisar quantos aviões foram entregues à Ucrânia, Przydacz afirmou que “a primeira parte do processo de transferência foi concluída”, segundo a agência espanhola EFE.

O ex-vice-ministro dos Negócios Estrangeiros polaco disse que a Ucrânia vai pedir mais apoio aos seus aliados durante a visita oficial do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, a Varsóvia na quarta-feira.

Przydacz saudou a formação de uma coligação na Europa Ocidental para coordenar e fornecer equipamento militar à Ucrânia, e insistiu na necessidade de apressar as entregas.

“Este equipamento deve ser entregue em quantidades muito maiores e muito mais rapidamente para que a Ucrânia possa repelir a Rússia”, acrescentou, citado pela agência espanhola Europa Press.

A Polónia e a Eslováquia comprometeram-se a enviar pelo menos 30 caças de fabrico soviético, que os militares ucranianos consideram ser pouco eficazes por serem antigos.

“Precisamos de aviões polivalentes modernos”, disse recentemente o porta-voz da força aérea ucraniana, Yuri Ignat.

Kiev tem pedido repetidamente aos seus aliados ocidentais o envio de caças-bombardeiros modernos, na esperança de obter os F-16 norte-americanos.

O Presidente polaco, Andrzej Duda, anunciou, em meados de março, que a entrega de quatro MiG-29 ocorreria em breve.

Duda disse, então, que a Polónia tinha cerca de 15 MiG herdados da antiga República Democrática Alemã.

A Polónia foi o primeiro membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla em inglês) a anunciar o envio de aviões para Kiev, face à recusa dos Estados Unidos de autorizar a entrega de F-16.

A Eslováquia também já anunciou a entrega dos primeiros quatro MiG-29, dos 13 que prometeu a Kiev.

A Ucrânia recusou-se recentemente a confirmar à AFP o número dos seus MiG-29 em serviço, mas, de acordo com o relatório Flight Global World Air Forces 2023, publicado no final do ano passado, estava a operar 43 aeronaves.

Os aliados ocidentais da Ucrânia têm fornecido equipamento militar às forças ucranianas para ajudar a combater a invasão russa, lançada em 24 de fevereiro de 2022.

Além do armamento, os aliados de Kiev têm adotado sucessivos pacotes de sanções contra os interesses russos para tentar diminuir a capacidade de Moscovo de financiar o esforço de guerra na Ucrânia.

A invasão russa da Ucrânia desencadeou uma guerra que mergulhou a Europa naquela que é considerada a crise de segurança mais grave desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Desconhece-se o balanço de baixas civis e militares, mas diversas fontes têm admitido que será elevado.

A ONU confirmou a morte de mais de 8.400 civis desde o início da guerra até 26 de março, bem como de 14 mil feridos entre a população civil.

Lusa

×
×

Cart