Quarta-feira, 29 de Maio, 2024

Papa é hospitalizado com ‘infecção respiratória’

O papa Francisco ficará internado “vários dias” no hospital Gemelli, em Roma, devido a uma “infecção respiratória”, informou o Vaticano em comunicado nesta quarta-feira (29).

Exames médicos “evidenciaram uma infecção respiratória (excluída a covid-19), que exigirá vários dias de tratamento médico hospitalar adequado”, explicou na nota o porta-voz do papa, Matteo Bruni.

Fontes do centro médico informaram à imprensa local que Francisco chegou em uma ambulância após apresentar problemas cardíacos e respiratórios, e que estaria sendo examinado no departamento de cardiologia da instituição.

A informação não foi confirmada pelo Vaticano, que habitualmente dá poucos detalhes sobre a saúde dos papas.

Francisco teve que cancelar uma entrevista para um especial da televisão italiana sobre a Semana Santa.

Entretanto, sua internação não programada contraria a informação anunciada anteriormente pelo porta-voz papal, que alimenta todo tipo de rumores.

O papa argentino, que comemorou 10 anos de pontificado em março, participou da audiência geral na manhã desta quarta-feira na Praça de São Pedro, durante a qual apareceu sorrindo, enquanto cumprimentava os fiéis de seu “papamóvel”.

No entanto, segundo os fotógrafos da AFP, ele se movimentava com dificuldade e parecia sentir fortes dores.

O pontífice, que usa cadeira de rodas desde maio de 2022 devido a uma artrite no joelho direito, passou 10 dias no hospital Gemelli em julho de 2021 para uma delicada operação de cólon.

O papa explicou mais tarde que este procedimento o deixou com “sequelas”, então decidiu descartar a cirurgia no joelho, conforme aconselhado por seus médicos.

O mundo já sabia de seus diversos problemas de saúde pelo fato de sofrer de uma dor ciática crônica que o força a mancar, motivo pelo qual teve que renunciar a cerimônias oficiais em algumas ocasiões.

O hospital Gemelli é o centro médico onde o papa João Paulo II também foi hospitalizado em várias ocasiões e teve um tumor benigno no cólon removido em 1992.

– Especulações e segredos –

Os problemas de saúde do papa costumam levantar todo tipo de especulações.

Nas várias entrevistas concedidas nos últimos meses, o papa latino-americano evocou a possibilidade de renunciar, tal como fez em 2013 seu antecessor, Bento XVI, que morreu no final de 2022.

Em julho passado, Francisco confessou que “já não podia viajar” com o mesmo ritmo de antes e inclusive mencionou que poderia se afastar. Em fevereiro, explicou que a renúncia de um papa “não deve virar moda” e que essa ideia “no momento” não estava em sua agenda.

Há um ano, ele conta com um “assistente pessoal de saúde” permanente – uma enfermeira.

A saúde dos papas tem sido sempre uma “matéria reservada” para o Vaticano e mantida geralmente em segredo.

O médico e jornalista argentino Nelson Castro apresentou recentemente em Roma um livro sobre a saúde dos papas e as doenças sofridas por eles desde Leão XIII (1878-1903) e falou em particular sobre o assunto com Francisco.

Ele disse a Castro que havia se “recuperado por completo” e que “não havia se sentido limitado desde então”.

Também confessou que quando residia na Argentina tratou de dores nas costas com acupuntura chinesa, que sofria de “cálculos na vesícula biliar” e que, em 2004, teve um problema cardíaco “temporário” devido a um ligeiro estreitamento de uma artéria.

AFP

×
×

Cart