Quinta-feira, 23 de Maio, 2024

Governo moçambicano vai propor aumento do serviço militar obrigatório para cinco anos

O Governo moçambicano vai pedir ao parlamento o aumento do tempo do serviço militar obrigatório de dois para cinco anos, anunciou na terça-feira o porta-voz do Conselho de Ministros, Filimão Suaze.

Suaze avançou que a mudança visa uma adaptação aos “desafios políticos e socioeconómicos impostos à instituição militar na atualidade”.

O alargamento do tempo de cumprimento do serviço militar obrigatório vai igualmente permitir um melhor aproveitamento dos investimentos que o Estado tem feito nas Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM), acrescentou o porta-voz do Conselho de Ministros.

Para que o novo prazo entre em vigor, a Assembleia da República terá de fazer uma alteração à Lei do Serviço Militar Obrigatório.

A província de Cabo Delgado enfrenta há cinco anos uma insurgência armada com alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

A insurgência levou a uma resposta militar desde julho de 2021 com apoio do Ruanda e da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), libertando distritos junto aos projetos de gás, mas surgiram novas vagas de ataques a sul da região e na vizinha província de Nampula.

O conflito já fez um milhão de deslocados, de acordo com o Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), e cerca de 4.000 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED.

Lusa

×
×

Cart