Sexta-feira, 19 de Abril, 2024

Brasil regista mais de 900.000 novos contágios nos últimos quatro dias

O Brasil, um dos países mais afetados pela pandemia de covid-19, registou mais de 900.000 novos contágios só nos últimos quatro dias, sendo que a variante Ómicron é responsável por cerca de 90% dos casos detetados.

Entre quarta e sexta-feira, o Brasil registou três dias consecutivos de recordes diários de infeções, todos acima dos 200.000 por dia.

A contagiosa variante Ómicron disparou de forma exponencial os contágios de covid-19 desde o início do ano, embora esse crescimento vertiginoso, até ao momento, não se tenha traduzido num aumento de mortes na mesma proporção.

Na sexta-feira, o país tinha registado o seu terceiro número consecutivo recorde de infeções em 24 horas, ao atingir os 269.968 casos.

Nas últimas 24 horas, o Brasil contabilizou 640 novas mortes devido à covid-19 e 179.816 infetados, de acordo com fontes oficiais.

Segundo os dados mais recentes, divulgados pelo Ministério da Saúde, o Brasil acumula agora um total de 626.524 mortos e 25.214.622 infetados pela covid-19 desde o início da crise sanitária, em fevereiro de 2020.

De acordo com os especialistas, a relativa contenção da subida de mortes por covid-19 resulta sobretudo do avanço da campanha de vacinação, contando com 77% dos seus 213 milhões de habitantes com pelo menos uma dose.

Entretanto, 71% dos brasileiros já conta com a vacinação completa, segundo os dados oficiais.

A rápida propagação da nova variante levou a que os governos estaduais voltassem a adotar medidas sanitárias para conter a propagação.

Em São Paulo, o estado mais povoado do Brasil, com 46 milhões de habitantes, vai passar a ser exigido o certificado de vacinação de crianças e adolescentes nas escolas públicas da região.

De acordo com a nova regra, a falta de comprovativo de vacina não impedirá os estudantes de frequentar as aulas, mas, nesse caso, as escolas deverão enviar uma notificação oficial às autoridades de saúde e ao Conselho Tutelar.

Os especialistas preveem que as próximas semanas sejam difíceis no Brasil, onde a elevada taxa de transmissão já supera o ritmo de contágio observado durante os períodos mais críticos da pandemia até agora.

A covid-19 provocou mais de 5,64 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

A nova variante Ómicron, classificada como preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em novembro, tornou-se dominante em vários países, incluindo em Angola.

Lusa

×
×

Cart