Domingo, 3 de Março, 2024

Juiz derruba decisão do governador do Texas que poderia beneficiar Trump

Um juiz norte-americano derrubou a ordem do governador do Texas de reduzir o número de locais habilitados para receber o voto por correspondência nesse estado, mesmo com a proximidade das eleições presidenciais de novembro, uma medida que foi questionada pelos democratas.

O governador do Texas, Gregg Abott, fiel partidário do presidente de Estados Unidos, Donald Trump, anunciou no início de outubro que reduziria a um por território os pontos para que os cidadãos que desejam votar pelo correio possam fazê-lo sem o uso do serviço postal.

Esta decisão “ajudará na luta contra as tentativas de votar ilegalmente”, disse Abott, em uma eleição que se espera um aumento sem precedentes no voto pelo correio devido a pandemia do coronavírus.

Mas uma sentença emitida na sexta-feira (9) depois de uma impugnação apresentada pelos defensores do direito ao voto, o juiz federal Robert Pitman derrubou a decisão argumentando que “restringe os direitos de certos eleitores”.

O juiz Pitman garantiu que a decisão do governador obriga os eleitores a fazer um deslocamento mais longo e esperar mais tempo para votar, o que aumenta o risco de contrair o coronavírus.

Texas, um reduto republicano onde o candidato democrata Joe Biden tem chances de ganhar, abriga um dos condados mais populosos do país.

Mais de 2,3 milhões de eleitores vivem no condado de Harris, onde se encontra a cidade de Houston e que conta com onze dos doze locais de entregas que deveriam ter sido fechados segundo a decisão do governador.

Trump afirma, sem provas, que o voto por correspondência é uma fonte de fraude. Mas além de incidentes isolados, nenhum estudo sério revelou fraudes consideráveis relacionadas ao voto pelo correio.

×
×

Cart